As Horas da Paixão

As Horas da Paixão de Luisa Piccarreta é uma oração ou meditação ditada pelo próprio Jesus para ela durante uma série de visões em que ela é chamada a contemplar e acompanhar o próprio Cristo durante as 24 horas de sua paixão.

As Horas da Paixão

Começa com a despedida de sua mãe María na última ceia e termina precisamente com a Virgem Maria se despedindo de seu filho morto antes de ser enterrada.

São Aníbal nos apresenta uma carta na qual eu gostaria de enfatizar que, como Jesus é verdadeiro Deus infinito, ele não precisava de paixão para nos redimir, uma pequena gota de sangue derramada seria suficiente como se fosse um simples arranhão, já que ela tem um valor infinito. Além disso, nem seria necessário encarnar e sofrer a passagem do tempo e a impotência do crescimento e das limitações humanas. E então por que tudo isso? Bem, para nos mostrar o quanto ele nos ama, com que imensa loucura ele veio para nos salvar e nos mostrar o amor que ele tem por nós.

E embora as promessas de Jesus a Luisa de salvar uma alma para cada palavra que é rezada sejam uma recompensa enorme, mais importante é o que Jesus aponta para ele que cada pessoa que se dá para orar as horas da paixão de tal maneira acompanhar e se é possível vivê-los, eles fazem Jesus se aliviar dos sofrimentos dos mesmos e isso ouso dizer pessoalmente porque é que ele vê que apreciamos seu imenso amor e o sacrifício que ele fez por nós de tal maneira que com nosso amor desengatamos seus espinhos e suas unhas, curamos suas feridas e apagamos suas feridas e, acima de tudo, as coisas que amamos e apreciá-lo, e se tivéssemos a graça de ir a esse momento para aliviá-lo, faríamos isso. Bem, essa graça é este exercício.

Uma coisa a acrescentar: a cada hora, há uma introdução ou preparação para orar e um agradecimento no final, pelo que eu investiguei não faz parte das horas, mas uma adição à preparação também achei uma preparação especial para as horas de agonia do jardim do Getsêmani, todos eles são adicionados para enriquecer a oração.

Como orar ou fazer as Horas da Paixão?

As horas da Paixão são divididas em 24 horas e cada hora tem sua meditação e oração, não há maneira prescrita de rezar, cabe a cada um fazê-lo da melhor maneira possível. O importante é que NÃO É NECESSÁRIO ORAR TUDO CERTO, é recomendável que você tente fazer todos os dias ao mesmo tempo, uma hora por dia (observe que a oração para cada hora não dura realmente uma hora, dura menos dependendo a duração de alguns minutos a meia hora a mais).

O importante é mergulhar nesses momentos e tentar ser um com Cristo para acompanhá-lo em sua paixão.

Para fazer isso, você pode inserir os seguintes links ou baixar o aplicativo gratuito para levá-lo ao seu celular ou telefone celular, em vez de um livro, e sempre disponibilizá-lo:

Hora 1 – das 17:00 às 18:00
Hora 2 – das 18:00 às 19:00
Hora 3 – das 19:00 às 20:00
Hora 4 – das 20:00 às 21:00
Hora 5 – das 21:00 às 22:00
Hora 6 – das 22:00 às 23:00
Hora 7 – das 23:00 às 00:00
Hora 8 – das 00:00 às 01:00
Hora 9 – das 01:00 às 02:00
Hora 10 – das 02:00 às 03:00
Hora 11 – das 03:00 às 04:00
Hora 12 – das 04:00 às 05:00
Hora 13 – das 05:00 às 06:00
Hora 14 – das 06:00 às 07:00
Hora 15 – das 07:00 às 08:00
Hora 16 – das 08:00 às 09:00
Hora 17 – das 09:00 às 10:00
Hora 18 – das 10:00 às 11:00
Hora 19 – das 11:00 às 12:00
Hora 20 – das 12:00 às 13:00
Hora 21 – das 13:00 às 14:00
Hora 22 – das 14:00 às 15:00
Hora 23 – das 15:00 às 16:00
Hora 24 – das 16:00 às 17:00

A tradução foi retirada de passioiesus.org

Você também pode entrar na LOJA

Promessas de Jesus a Luisa Piccarreta

Nosso Senhor Jesus Cristo prometeu salvar uma alma para cada palavra orada com misericórdia desta oração feita por Ele, o que torna uma das orações convenientes não apenas salvar as almas daqueles que estão aqui na terra, mas daqueles que estão nele. Purgatório.
A vontade divina

Assim como existe a Divina Misericórdia, existe a Divina Vontade, que é outro aspecto da majestade de Deus, de fato a Divina Misericórdia é porque a Divina Vontade a quer dessa maneira.

Para Luisa Picarretta, Jesus deu não apenas essa bela meditação, mas a revelação da vontade divina que, em suma, é aceitar e alinhar-se com o que Deus deseja.

A expressão final disso é querer a mesma coisa que Deus deseja.

E é tão simples e complicado como isso, é negar a si mesmo, tomar a cruz e segui-lo. É o que os santos fazem com sua liberdade, uma vez que, porque eles escolhem, escolhem a mesma coisa que Deus, porque sabem que Ele não pode tomar a decisão errada. ou melhor, sendo capaz de tomar, graças a seus atributos, a melhor decisão de todas, eles a escolhem, mesmo que não entendam completamente porque é a melhor. É um ato de FÉ como pegar uma cruz e segui-la.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *